sexta-feira, 20 de janeiro de 2006

pronto...

é agora que vamos todos bater a bota! arrependam-se pecadores! o fim está próximo!

uma baleia no rio tamisa é coisa para ser comparada a um fenómeno do entroncamento. no mínimo, entra para a história. eu cá para mim, aposto que a baleia está farta de viver e decidiu pôr termo à própria vida. e que melhor sitio para o fazer que o belo do rio tamisa? não há melhor. com suas águas de castanho límpido (quiçá devido ao facto dos porcos dos osgas despejarem as águas residuais com todos os seus resíduos orgânicos - leia-se fezes e amigos... - para o rio), não há nada que lhe resista.

enquanto escrevo estas linhas, a baleia está já a ser atacada por um exército de pensos higiénicos usados, flanqueados por preservativos fora de prazo, usados e com esmegma e, ainda (ah! o saudoso 1,2,3 e a bota botilde, na altura em que o carlos cruz não passava dum pedófilo anónimo. ou melhor, celebridade pública mas pedófilo na anonimidade. ou será que é ao contrário? enfim...), ácidos corrosivos provenientes dos milhares de roadkills que, qual aranha em sua teia, se agarram com unhas e dentes (neste caso, com queratina e... mais qualquer coisa) a um qualquer ralo desta cidade linda em que me encontro.

com esta vos deixo. um saudoso bem-haja e obrigado por serem quem são

sai um pastelinho de bacalhau...

2 comentários:

Guida disse...

Morreu, tadita!

Paulo disse...

é mesmo à osga. na ânsia de salvar o pobre do bicho acabaram por a estrafegar (a baleia e não palhaço...) até ela bater a bota.
pensando bem, mais valia que tivessem ficado a estrafegar o palhaço (o próprio ou uns aos outros, que agora é moderno) em vez de fazerem idiotices do género de "operação de salvamento ridícula com meios desnecessário e votada ao fracasso"...