terça-feira, 18 de outubro de 2005

Um Houdini de 4 patas

Pois é... nós recebemos cá em casa na semana passada a visita do Houdini. Não do humano, mas de um de 4 patas. Um certo Mus musculos decidiu que a nossa casa era um bom sitio para passar o Inverno. Só que se esqueceu de pedir autorização pra vir para cá viver. Resultado...não foi bem vindo.
Eu como boa bióloga que sou ainda tentei dar-lhe umas quantas oportunidades de sair sózinho, mas parece que o Houdini se estava a sentir cá bem.
Ora, a minha paciência é mesmo muito limitada e eu no final da semna estava já furiosa com o nosso convidado. Primeiro tivemos que descobrir onde é que ele passava a maioria do tempo, pois toca de desmantelar quase a sala toda. De seguida lá fomos nós tapar os acessos aos esconderijos perferidos do dito ratito. Isso até que resultou, ou pelo menos o bicho ficou bem confundido quando tentou esconder-se num espaço que já não existia. Mas claro que tal como o Houdini ele lá e consegui libertar do sitio onde o tinhamos prendido. (Suponho que alguns de vocês se identifiquem com a situação de ter ratos a fugir de armadilhas quando menos se espera!).
Passando à frente. Já muito chateada com a situação decidi passar a medidas mais drásticas: armadilhas de verdade e veneno. Lá fomos nós às compras de munições!
Claro que nos esquecemos que em terras holandesas "os animais são nossos amigo!" por isso veneno nada. Com as armadilhas, que eram abertas dos dois lado e não tinham sistema de fecho, vinham uns graozinhos q adormeciam o ratito!
Resultado: o Houdini decidiu esconder-se no nosso frigorifico entre o tampo e a caixa frigorifica. Toca de desmantelar o aparelho! Lá fomos nós encontrar o dito bicho, todo meio estremunhado e com bastante medo encaixado numa das calhas do tampo do frigorifico. Estremunhado! Bem, deve morrer não tarda, pensámos nós, ainda crentes no poder do "veneno". Pois sim! Quanto mais tempo passava mais acordado ia o rato ficando. Eu já com a minha paciencia em fanicos, lá me decidi que daquele momento o rato não passava. Ainda não sei muito bem como, mas á consegui meter o rato numa caixa alta, de onde ele não consegui sair por muito q tivesse pulado e tentado! Como ele não podia ficar ali eternamente lá me lembrei de vedra uma das aberturas da armadilha e convence-lo a entrar na armadilha pelo lado aberto. Depois só houve que vedar esse lado também.
Eu como sou um coração mole no que respeiota a bichos não tive coragem de matar tão simpático e inconviniente visitante, por isso decidi que a seleção natural deveria actuar: rato trancado em armdilha de papel, deitado no caixote do lixo. Se ele foi forte e era um verdadeiro Houdini deve ter conseguido libertar-se e viveu feliz pa sempre no meio do lixo!

Um bem haja a todos (os que se conseguiram manter acordados)!
Ines

6 comentários:

Sofes disse...

Naaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaoooooo!

Não me digas q o mandaste fora!!!!
Não posso crer q te livraste dele...
...sem lhe ter cortado a ponta da cauda!!!!!
Achas isso bem?! Ai ai ai...

Hugo disse...

Lamento, mas isso nao e' de Houdini. Houdini seria sim como o meu avo fazia: ainda dentro da armadilha o ratito tinha que sair e isto tudo se passava no fundo de um bidon com agua! :D

grao_de_po disse...

de repente lembrei-me dum determinado ratito a saltar por cima do ombro de certa e determinada pessoa que frequenta este blog.

e era... apenas!!!... a única captura do dia... ou afinal havia outra para não ficarmos tristes até roçar os píncaros da ausência e a partir daí só chorarmos a rir a ver pirilampos, caracóis e... p-c'os-p, passo a expressão, rien de eliomys...

Paulo disse...

os célebres leirões!!! :D

grao_de_po disse...

não sei porquê, mas tenho dificuldade em evitar uma reminescência de ressaibo quando alguém se lembra de falar desses mascarilhados...

Guida disse...

epa, usa Dona Antónia.... isto faz-me lembrar aquela saida de Fauna de Portugal, a Grândola, em que acidentalmente um ratito adormeceu para sempre nas minhas mãos...