segunda-feira, 24 de outubro de 2005

a maior banhada depois do scream...

olaré!
como já (quase) toda a gente sabe, o domingo, dia da eucaristia e da família, é também o dia de regresso ao meu desterro. e depois de uns meses de verão em que reduziram as minhas actividades lúdicas ao zero decidi que havia de acabar todas as noites até ao fim do castigo de medonha viagem pelas nacionais deste país na sala de cinema do centro cultural (segue segue segue, não bira, segue segue segue...).

ora, portanto, ontem calhou-me na rifa a casa de cera...
primeira note to self: não retornar ao cinema para filmes de cariz terrorífico-suspênsico duvidoso all by myself, é que apesar de não valer um peido, ainda apanhei uns sustos...
a qualidade duvidosa deste género de filmes só me lembrava as tardes da secundária em que nos juntávamos frente ao televisor com um qualquer filme de terror classe b, um prato de massa com atum e um copo de sunquick de laranja, para alternar entre os sustos de umas e as gargalhadas de outras, porque as películas eram realmente tão más que não havia outra reacção possível senão rir.
bem, ontem, enquanto eu me encolhia na cadeira, havia quem risse na sala. lá para o fim do filme deixei-me contagiar, mas até lá foi custoso. até o gregório estive prestes a chamar, para em fazer companhia, quando uma das personagens fica sem um bocado da cara quando o amigo tenta tirá-lo do fatinho de cera que o mau da fita lhe tinha vestido depois de lhe depilar as sobrancelhas para as colar em cima da cera... foi ver a lagrimita do moço a escorrer por cima da cera, 'tadinho. aquele é que só mexia os olhinhos mesmo.

nunca desejei tanto que um filme terminasse, mas ainda assim não fui capaz de abandonar o barco a meio da viagem. a curiosidade é sempre mais forte. blahhh.

segunda note to self: não retornar ao cinema para filmes de cariz terrorífico-suspênsico.

:s


sai um pastelinho de bacalhau...

1 comentário:

Paulo disse...

e tu safaste-te do Van Helsing, Hellboy e afins...